Brero Sports
Você está aqui:  / Futebol / Marketing Esportivo / #FINAL PARANAENSE DE FUTEBOL 2017: Atletiba tem mais de 2 milhões de visualizações pela internet

#FINAL PARANAENSE DE FUTEBOL 2017: Atletiba tem mais de 2 milhões de visualizações pela internet

Final do Paranaense foi a primeira do futebol brasileiro a ser transmitida exclusivamente via Facebook e Youtube

O último domingo marcou o fim de 18 estaduais por todo o Brasil. Entre eles esteve o Campeonato Paranaense, marcado pelo título do Coritiba diante do Atlético-PR e o pioneirismo da transmissão gratuita em redes sociais. Assim como na quinta rodada da competição, as duas equipes recusaram as propostas da RPCTV, afiliada da Rede Globo, e decidiram transmitir os dois jogos da decisão apenas pela Internet, via Facebook e Youtube.

Sem ser televisionado, o Atletiba, como é conhecido o clássico, teve 1,6 milhão de visualizações até o fim da primeira partida, vencida por 3 x 0 pelo Coritiba; no segundo jogo, o título já encaminhado para o Coxa – além da larga vitória na ida, os coritibanos decidiram a finalíssima em casa, no Couto Pereira -, e o morno 0 x 0 no placar levaram o número de visualizações a uma leve queda, chegando a 1,1 milhão. Além disso, a transmissão pelo canal do Coritiba ficou em primeiro lugar no trending (os assuntos mais relevantes e comentados) do Youtube no Brasil, onde permaneceu até a tarde desta segunda-feira.

Para a realização da transmissão, os dois rivais paranaenses contaram, mais uma vez, com a ajuda do canal Esporte Interativo, que, além da produção, equipe de reportagem e os equipamentos, cedeu aos canais de Coxa e Furacão o narrador Giovani Martinello e o comentarista Felipe Rolim. A parceria se deu pelo fato de os dois clubes terem contratos com a emissora para as transmissões de jogos do Campeonato Brasileiro.

A iniciativa da dupla Atletiba é considerada uma nova afronta à Rede Globo, que detém os direitos dos principais campeonatos disputados no país, como o Brasileirão, os estaduais, a Copa do Brasil e a Libertadores. Em outubro de 2015, a Primeira Liga foi criada para se opor à CBF em relação às cotas televisivas, que, segundo os idealizadores da competição, deveriam ser distribuídas de maneira mais igualitária entre os clubes participantes. Apesar de ser bem recebida em 2016, a competição vive, na atual edição, uma realidade diferente: queda brusca de público e os principais clubes enviando times reservas para os jogos. Os dois rivais paranaenses, que fizeram parte da idealização do campeonato, deixaram-no por questões ideológicas, segundo Mário Celso Petraglia, presidente do Conselho Deliberativo do Atlético.

A primeira tentativa de transmissão via Internet

Atlético-PR e Coritiba se enfrentariam na Arena da Baixada, no último dia 19 de fevereiro, pela quinta rodada do estadual. Minutos antes do início do confronto, o clássico foi cancelado pela Federação Paranaense de Futebol (FPF), impediu que o jogo ocorresse com transmissões pela Internet. Os dois clubes não recuaram e, assim, a partida foi adiada para 1º de março. Desta vez, com a transmissão liberada, o jogo ocorreu e foi vencido pelo Atlético por 2 x 0. A novidade causou impacto, fazendo com que o duelo tivesse mais de três milhões de visualizações, somados os canais do Youtube e os perfis do Facebook das duas equipes.

Versão oficial do Atlético-PR sobre os resultados obtidos no clássico:

“Temos consciência dos eventos históricos que foram as duas finais, e que os resultados foram plenamente atendidos, visto que sofremos uma concorrência muito grande. Todas as finais foram televisionadas pelas grandes redes. Mesmo com essa concorrência, fizemos números muito significativos. Além disso, a captação de patrocinadores foi muito satisfatória. Tivemos patrocinadores de peso, como Renault, Uber, Tim, Copel, Adidas. Por essas razões consideramos que tenha sido um grande sucesso.”

NÚMEROS DO 1º JOGO DA FINAL
No Facebook:
Visualizações:
613.120 (Atlético) e 445.024 (Coritiba)

Pico máximo: 17.190 (Atlético) e 13.798 (Coritiba)

Visualizadores únicos: 494.000 (Atlético) e 343.000 (Coritiba)

Interações: 262.786 (Atlético) e 235.959 (Coritiba)

No Youtube:
Visualizações: 310.239 (Atlético) e 239.902 (Coritiba)

Pico: 51.975 (Atlético) e 46.226 (Coritiba)

Minutos Assistidos: 6.177.720 (Atlético) e 4.130.460 (Coritiba)

Duração média das visualizações: 19:48 (Atlético) e 18:04 (Coritiba)

NÚMEROS DO 2º JOGO DA FINAL
No Facebook:
Visualizações: 334.362 (Atlético) e 352.196 (Coritiba)

Pico máximo: 13.288 (Atlético) e 14.052 (Coritiba)

Visualizadores únicos: 271.000 (Atlético) e 292.525 (Coritiba)

Interações: 162.740 (Atlético) e 208.197 (Coritiba)

No Youtube:
Visualizações: 252.537 (Atlético) e 285.428(Coritiba)

Pico: 55.163 (Atlético) e 53.594 (Coritiba)

Minutos Assistidos: 5.977.020 (Atlético) e 6.688.560 (Coritiba)

Duração média das visualizações: 22:38 (Atlético) e 24:59 (Coritiba)

FONTE: EL PAÍS / 08 MAIO 2017

Este conteúdo é restrito a membros do site. Se você é um usuário registrado, por favor faça o login. Novos usuários podem registrar-se abaixo.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório